o grande livro dos lavores

A 1a edição, de 85.

Desde que me conheço, que sempre vi este livro lá por casa.
A minha mãe sempre com as mãos ocupadas, ora a costurar, ora a tricotar, fazer crochet ou bordados. Tudo saía com esmero e perfeição das mãos da minha mãe, e no nosso guarda-roupa, poucas eram as roupas que tinham sido compradas em lojas (coisa que se ultrapassou na nossa adolescência)!
Às 3 filhas mais velhas (sendo eu a terceira) tentou ensinar qualquer coisa... lembro-me que comecei por aprender a fazer cordão com a agulha de crochet... mais tarde o tricot. Quanto à costura, a brincadeira era fazer vestidos para as bonecas.
Em casa da Etelvina (minha querida madrinha), havia uma gaveta no armário da cozinha que era reservada para guardar a caixa da costura e muitos trapinhos - pedaços de lençóis ou camisas, velhos panos de cozinha - que cortávamos e cosíamos como nos apetecia, na tentativa de fazer novas roupas para as bonecas e saquinhos para o pão... e de nos entretermos por um bom bocado sempre que lá estávamos.
Eu tinha já uns 12 anos quando a minha mãe começou a fazer mantas de patchwork para vender e nessa altura comprou também uma máquina de costura. Sempre que podia lá estava eu a tentar fazer qualquer coisa.

Bem, com a talentosa mãe que tenho e as brincadeiras de criança, eu deveria ser uma menina muito prendada hoje... não? Bem... claro que não! Tudo o que sei hoje continua a ser o básico...

Gosto de fazer tricot... Mas não sei pontos complicados, nem coser mangas em condições.
No crochet... o básico também, mas sempre me aventuro mais um pouco.
Na costura... improviso.
Nos bordados... tudo o que sei fazer são dois pontos, os mesmos que tenho aplicado nos meus bonecos: O de "cobertor simples" e o de "cadeia simples"... tudo bem simples portanto!

Foi principalmente por essa razão - porque quero finalmente ultrapassar o nível de aprendizagem "básico" - que ao fim de tantos anos de improvisos e aplicações simples... resolvi pedir esta relíquia emprestada à minha mãe.
Agora só espero ter TEMPO e PACIÊNCIA suficiente para esta aventura de aprendizagem autodidata!... (...e que a minha mãe tenha paciência, sempre que eu precisar de uma ajudinha!)

...

E porque estou a falar de bordados... Para quem não conhece ainda, aqui fica a sugestão para conhecerem os trabalhos da minha amiga bordadeira, criadora de peças lindas e únicas que aliam o tradicional ao contemporâneo:
Jubela.
 Aquiaqui e aqui:




1 comentário:

  1. também gosto muito dessa enciclopédia :-)
    obrigada por me incluíres nas tuas sugestões. beijinhos*

    ResponderEliminar