janeiro ao sol

Janeiro chega e eu não me contenho. Des-conformo-me com a conformidade e "calmaria", hibernação aparente dos meses anteriores. Quero renovação. Há um sentimento de mudança interior que extravasa e me move. Quero mover-me. Revolver a água estagnada. Abrir a comporta e deixar o rio fluir.
Nos anos em que nenhuma perspectiva de mudança se afigura no meu horizonte, mergulho ainda mais na hibernação e fico assim, quieta e inactiva, no meu bucólico dia-a-dia, até que os primeiros sinais de primavera se sintam.
Valha-me este sol que em todo o seu esplendor tem irradiado a sua luz e que não me deixa adormecer.
Sei que a chuva é preciosa e que ela virá e espero recebê-la com gratidão, para que no verão não haja "seca". Mas este sol... é minha fonte de energia.

Perspectiva-se, finalmente, uma mudança de casa... Espero não ser cedo demais para falar. Ainda nada é certo, apesar de já o ser, na minha mente e no meu coração.



1 comentário:

  1. Identifico-me com as tuas palavras. E desejo-te que toda a força da tua mente e do teu coração encontrem a realidade cá fora para viveres a vida que te propuseste viver. E que o sol nos continue a animar! Mesmo sabendo que a chuva é bênção porque a água é vida. E se já é tarde para vir desejar um Feliz Ano Novo, posso sempre a qualquer momento desejar-te um Feliz Ano Todo! Beijos.

    ResponderEliminar