Mensagens

A mostrar mensagens de Janeiro, 2016

Restaurar

Imagem
A casa estava desabitada à cerca de 6 meses… Estava em boas condições no geral, mas precisava de uma grande e intensiva dose de limpeza e tinta nova nas paredes. A casa estava cheia. Cheia com tudo o que pertencia ao homem que nela habitou. Tivemos um grande trabalho de “desocupação” e ao desnudar a casa, vimos que seria preciso fazer mais para a tornar acolhedora, fresca e nova, do que inicialmente tínhamos pensado. Decidimos trocar o velho chão de taco dos quartos, já “des-encerado”, desgastado e furado pelo bicho, por um novo pavimento. Escolhemos um pavimento flutuante, que é barato e pratico e fácil de aplicar.
Demolimos um pequeno “WC” que havia num dos quartos para o tornar mais espaçoso para os miúdos. A parede desse espaço, que ficou em azulejo, forramos com gesso cartonado. Todas as paredes, tectos foram pintados com tinta branca. Mais tarde decidimos pintar também de branco as portas e as escadas. (tarefa “solo mia” e que durou intermináveis dias). Na casa de …

aceitar e deixar acontecer (se tiver de ser!)

Imagem
Quando aceitamos, entregamos e baixamos as armas... tudo se alinha a nosso favor e... finalmente, acontece!
 Eu sei que é bonito mas nem sempre é assim... e continuo a acreditar que devemos sempre lutar pelo que queremos. Mas vou explicar por que é que neste caso, num certo aspecto, esta frase faz tanto sentido.
Num post que escrevi, em junho, desabafei aqui o facto de estar farta da procura incessante por uma casa nova, sem qualquer sucesso. Assim tinham sido os primeiros 6 meses do ano, e de como isso me fez "desleixar" com a casa onde habito, como passei a gostar dela ainda menos desde que tinha empacotado tudo o que gostava por ansiar uma "saída /mudança" iminente. Decido então "baixar a guarda", relaxar, passar a gostar mais da minha casa... Assim foi. E em poucos meses tudo mudou.
Decidimos vender o nosso terreno. Aquele onde sonhávamos viver, mas com a certeza da incapacidade de o fazer nos próximos anos (era preciso construir quase do zero, sem t…